quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Sexo na gravidez

Sim, estou grávida pela terceira vez. Mas foi sem querer, juro! Nenhuma pessoa sensata, em pleno século XXI, que ganhe menos de 10 salários mínimos vai pensar em ter três filhos hoje em dia. Mesmo sendo de uma classe média, “meia bomba agonizante” como eu. Na verdade, eu tinha determinado que dois filhos homens já era lindo, supersensacional e digno. Ainda mais por ser daquele tipo de mãe que chora quando o pequeno tem acesso de cólica, quando o dente lhe dói nas gengivas, ou quando tem reação a vacina.

Então eu bati o martelo e fechei a fábrica por conta própria, na teoria. Só na teoria. Na prática eu não fiz porque achava que não era coisa de Deus. Meu marido, o “Engraçadão” vivia dizendo que daria "nó no pinto" e fomos indo. Assim, eu fiz uma abdominoplastia seguida de lipoaspiração, “botei” peitos, fiquei com corpinho de vinte (sim, porque rosto eu já tinha, apesar dos trinta e sete) e danei a foder.

Bebia, fumava e trepava. Sempre tivemos um relacionamento muito sexual, mesmo depois de quinze anos de união. A gente detesta cama e trepa nos outros cômodos. Ultimamente andávamos trepando até na cama, só pra variar um pouquinho. Sabe como é, não? Depois de tanto tempo era bom dar uma variada. Era... Aí eu engravidei de novo "sem querer." Desesperei-me. Deprimi. Não é fácil. Primeiro pensava que era problema com o álcool, porque foi depois de uma bebedeira com as amigas que fiquei com uma espécie de azia infinita. Depois de uma semana nessa, fui correr atrás pra saber que porra era aquela. Aí lembrei que não tinha menstruado. Aí lembrei que só podia ser engano. Aí lembrei que não sou daquelas de fazer aborto e aí, finalmente, descobri que era neném.

"Eram faxinas intermináveis regadas a cerveja,
música e sexo no chão. Cada limpada
de janela, era uma trepada."


Na minha primeira gravidez, que não foi planejada assim como essa, passado os transtornos chatos, voltei a atividade sexual quase normalmente. Aceitei bem, apesar de não termos nenhum puto no bolso e apesar até, de nossa situação financeira ser bem pior que agora. Era tudo novo, só eu, ele e o hidratante. Meu marido, o "Engraçadão", ficou extremamente sexy na minha primeira gravidez. Tínhamos sete anos juntos. Aquela faceta “pai” que eu não conhecia, me fazia sentir tesão nele. Meu corpo barrigudo, porém firme também era excitante. Então, nós tínhamos tempo, planos e eu passava hidratante todos os dias! Tínhamos um apartamento novo também, que acho, foi o grande culpado pela gravidez inesperada. Eram faxinas intermináveis regadas a cerveja, música e sexo no chão. Cada limpada de janela, era uma trepada. Na escada, no corredor, no banheiro... menos na cama.

E assim eu fui levando até o final. Já não transávamos todos os dias, mas era muito bom. O chato, era que quando a coisa ficava mais violenta, mais acelerada, eu tinha que pôr o pé no freio com medo de incomodar o bebê. Fora isso, fomos bem até quase o nono mês. Aí, quatro anos depois, na gravidez do Sr. Cabeça de Bolinha (meu filho de número dois) eu fiquei muito mal nos três meses e meio iniciais. E junto desse desconforto, sentia um cheiro horrível no "Engraçadão". Não era cheiro de vala, nem mau hálito, muito menos cecê. Era um cheio na respiração dele, que me dava vontade de vomitar cada vez que ele se aproximava.

"Achava que nunca mais sentiria tesão.
Sentia-me tão culpada por tratá-lo
de maneira tão fria"

Mesmo ao me dar um beijo, eu virava o rosto. Se ao dormirmos ele virava pro meu lado, eu me virava de costas. E assim foi até o quinto mês, quando eu não ousava conferir se o cheiro tinha passado. Claro, eu não me sentia confortável com isso. Achava que nunca mais sentiria tesão. Sentia-me tão culpada por tratá-lo de maneira tão fria. Era muito complicado, pois eu sonhava com muitos homens, sempre me comendo ou ao menos tentando me tocar. Na verdade, nos sonhos, tinham outros homens, mas eu sempre acabava numa tentativa frustrada de automasturbação fracassada. Nem isso eu conseguia.

Por fim, um dia sonhei que meu marido me pegava de jeito e foi assim que eu mesma fui fazendo minha cabeça pra voltar a comê-lo. Um dia, acordei cedo e fiz ele me comer de ladinho, justamente de manhã (que eu detesto), ainda de boca suja, só pra ver como seria. Depois, chegando do trabalho, ataquei-o no banheiro. Tiveram outras vezes, mas foram muito espaçadas até o nascimento do bebê.

"Me sinto numa TPM interminável..."

Agora, grávida de "Miss Surpresinha", continuo não dando pra ninguém. A diferença é que além de morta da cintura pra baixo, estou feliz e ligando porra nenhuma pra isso. Claro, fico com pena dele que deve estar com as mãos sangrando de tanto “tocar” bronha. Até o meu pai, o "Sr. Engraçado", já mandou ele comprar um sabonete especial pro banho, pra “tocar” algumas. A gente anda fazendo muita piada com isso, porque não adianta se estressar. Ele não está mais com aquele cheiro insuportável, que dessa vez atingiu até aos meninos, mas mesmo assim, me limito a uns poucos beijos de língua. Me sinto como numa TPM interminável e admito que em termos de culpa, me sinto “zero culpada” por estar assim. Isso passa. Tudo passa.

A única coisa chata disso tudo, é que depois que voltamos a atividade sexual normal, eu "volto a ser virgem" e o pau do "Engraçadão" parece ter um metro e meio. É triste. Haja KY. Trepo chorando, mas depois volta ao normal! E nessa vida, a tudo se acostuma, não é mesmo? A gente se acostuma a ser enrabado pelos órgãos públicos, pelos prestadores de serviço, pelos políticos de Brasília. Uma “pirocada” a mais ou a menos...

Beijo na bunda.

Engraçadinha
"Palavra de mulher"
Colaboradora: Engraçadinha
Blogs: Confissões do exílio
Mulheres a la carte
Perfil completo: clique na imagem

15 comentários:

Anônimo disse...

A idéia de ter um ser vivo dentro da minha barriga não é nada agradável. Sei lá, quero ser homem em todas as minhas vidas. Boa sorte pra você.

Valentina disse...

São tantas as alterações hormonais a que as grávidas estão expostas, tantas mudanças de humor e transformações no corpo que realmente não deve ser algo fácil de se lidar.
O bom é quando se tem um marido parceiro capaz de entender e ter paciência com todas essas oscilações.


Adorei o texto!

Beijos e saúde pro bebê.

Dani Antunes disse...

Essa é minha amiga... Texto foda!
Opa! Foda não, né amiga?! Pelo menos por enquanto! :P

Enfil, AMEI o blog e o layout!
E pode deixar que assim que me desvirginarem eu conto! hauhauhauhaua

Beijos

Engraçadinha disse...

Oi.
Passei pra dar uma conferida.
Eu sou róbert, exibida e curiosa.
Vou fazer propaganda no twitter, porque eu me amo!

Bjs querido.

Ma disse...

Um texto brilhante, digno e como deve ser de uma Mulher a La Carte!!!
Maravilhoso, amiga...

Rafhitch disse...

Muitos casais ficam com receio de terem relações sexuais durante a gravidez, isso é normal. Porém, já soube de casos onde a mulher ficava com um puto tesão e era sexo até o final da gestação!

;)

Parabéns pelo post. Muito bom!

Daniela Scheifler disse...

hahaha Adorei! Tô há 9 anos com meu marido e nenhum filho ainda. Mas eles estão nos planos. Bom saber que tudo passa, porque adoro dar pro meu marido. E muito.

beijos nocê e no baby

Enfil disse...

Uma coisa é certa: o Engraçadão gosta muito de você. Eu, no lugar dele, sei lá, já tinha surtado! Rejeição é uma coisa que não sei lidar direito.

Gostei muito do post!

Vai ficar tudo bem, viu?

Beijos!

Enfil

Julis disse...

Enfil, legal que (mais uma vez rs) voltou com o Blog, agora bora lá que eu vou ler o post da engraçadinha

Crioula disse...

bom, ja nao sei mais onde te encontrar!

Engraçadinha disse...

Crioula, no mesmo bat canal. No confissões, no mulheres, no Tigre de Muleta e aqui, sempre q chamarem.

Lulu on the Sky® disse...

Amei o post Flá.. vai passar essa fase e logo logo vc ataca o engraçadão de vez, mas previne gata senão abre uma creche de tanta criança.
Big Beijos

Elcio disse...

O Moisés está chegando por esses dias e no q diz respeito a sexo, nada mudou entre a gente, coisa q eu imaginei q seria diferente, q fosse ser mais regrado. Enfim, estamos no meio do 9 mes e td continua normalíssimooooooooooo.

É isso aí.
Bjs

Sexo Verbal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda disse...

Primeira vez por aqui, adorei o blog!
Pra mim, do terceiro até o oitavo mês foi um fogo só!! O marido até estranhou...E depois, meu Deus, ficou melhor ainda!!(E nada do que diziam de 'ficar larga'-mesmo com parto normal-precisava de KY tambem...)
E sobre o cheiro,não senti e espero não sentir nas proximas!
Adorei o blog e continuarei passando por aqui..
Boa sorte pra vc e pra 'miss surpresinha'